Notas Avulsas

sábado, setembro 09, 2006

Despedida do sol de verão

Visto,
Previsto,
Mesmo que eu não soubesse,
já achava que era isso mesmo
O caminhar da coisa

Revisto
Seu rumo certeiro
Do pouco caseiro
do nada que sempre soube
jamais imprevisto

Quando você me ligava naquele dia e eu
De cueca na mão, cigarro na outra,
Sem sequer achar o telefone que tocava
E achando assim mesmo, em atitude corporal,

Teu rosto entrevisto.
Mas nada que condissesse
com nada com que eu esperasse,
quando eu voltasse para esperar

Depois da nossa conversa
Burlando o tema maior

Sobrevisto
Da invenção de todas premeditações
Exaustos e sem chão
Sobrepostos,
imprevistos
de um raso final,
tua lua minguante
numa tarde de verão.

2 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home