Notas Avulsas

sábado, dezembro 09, 2006

o que pesa

Pior Presidente (de todos os tempos) of the USSA: George W Bush. Preciso explicar? Não. Obrigado.

Maior decepção para quem entretinha esperanças: Seleção brasileira, Alemanha 2006. Mesmo quando o fracasso fora anunciado ampla e escandalosamente de antemão -- tipo aos 15 minutos do primeiro tempo contra a Croácia no Olímpico de Berlim -- nada se fez. Nada se faria. Aos 40 minutos do segundo tempo contra a França, Ronald Golias tira Cafu e mete Cicinho. Foi por isso que minha mãe me deu à luz? Haveria algum valor moral elevatório naquela derrota que melhor formaria o meu caráter, e o de 180 milhões de outros torcedores? Não. É que o cara era apenas um obstinado.

Pior Presidente (de 2006): George W Bush. Preciso explicar? Não, né.

Melhor filme: “Borat: Cultural Learnings of America for Make Benefit Glorious Nation of Kazakhstan.” Nem vi, mas pelo número de processos e outras ações judiciais que conseguiu magnetizar em mera semana de circulação a coisa só pode ser boa.

Pior novela: Empate. Belíssima e Páginas da Vida. Entre Regina Duarte e Fernanda Montenegro, prefiro mesmo as caretas do Parreira e o rictus mortualis do Zagallo. Abro exceção para a participação de Paola Oliveira. Graças à ela meus olhos começaram a dar cãimbra.

Melhor noticiário: BBC World. O mundo inteiro em 30 minutos. Acentos britânicos das mais variadas espécies. Não sei se ainda servem champagne na redação às 6 da manhã. Espero que sim.

Pior campanha possível em nome de um legume: Geraldo Alckmin. Nem entre vegetarianos. Produtores e feirantes não mereciam. Nenhum idioma que eu conheço tem a expressão: “Sacrificial Vegetable.”

Carro do Ano: o meu. Em abril ele vai completar 20 anos.

Coqueluches que Cansam: Jóvens celebridades saindo de limusines sem calcinha. Agora é Brittney e Paris e Lindsey Lohan, antes era Luana. Muito antes aquela amiguinha do Itamar. Ainda não entendo porque os jornais não publicam as fotos. Papparazzo também é filho de deus. (Tá certo: não precisam comprometer a limusine.)

Disco do Ano: aquele do Egberto Gismonti, remasterizado após quase 30 anos de esquecimento: “Sonho 70”.

Melhor Livro: Giorgio Locatelli, “Made in Italy.” 700 páginas de comida, receitas e reflexão. Dá de mil na Bíblia, no Alcorão, no Talmud. Tudo isso sem uma nota de rodapé sequer.

Pior time de futebol: Fluminense Football Club. (No aperto, venceu do Fulham. Agendadores de amistosos: não durmam no ponto em 2007!)

Jogador do Ano: Juninho Pernambucano. Dentro e fora do campo. Assez dit. End of story.

Revelação do Ano: Beatriz.

Melhor Blog: Jogo Aberto do Lédio Carmona: Informação, frequência, sensatez, conteúdo. Lá até os sapos viram príncipes. E as princesas jamais perdem majestade. Impossível explicar. Desnecessário, também.

Momento mais feliz: o café do café da manhã; o motor do carro que pega da primeira vez quando faz um puta frio; ter o privilégio de ouvir a Patrícia Vergara acariciando as teclas.

Melhor instrumentalista: Patrícia Vergara.

Pior decisão: Brasília.

Maior indecisão: Parreira.

Melhor resolução de rivalidade histórica desde Catarina de Medici: Itália no pênaltis.

8 Comments:

  • A maior e melhor surpresa em minha vida: Esse post!

    By Anonymous Princesa, at 9/12/06 19:09  

  • Linda volta, e nem preciso explicar.JA e uma coisa sem exlicação,uma irmandade impar , aparecça.

    By Blogger JOSE AMBROSIO, at 9/12/06 21:54  

  • Tem que aparecer nos encontros!!! Consegue ser mais divertido do que o blog.
    bjs

    By Anonymous Lilu, at 10/12/06 10:17  

  • Christopher,
    como assim revelação do ano???
    Nada que mereça destaque ou notoriedade,apenas alguém que soube usar seus quinze minutos de fama!
    Beijo

    By Anonymous Beatriz, at 10/12/06 22:58  

  • Welcome back, Balla!

    Li ontem ou anteontem um artigo interessante do Michael Lind, da New American Foundation, no Estadão, publicado originalmente no Post. Você leu?

    Ele diz que o Bush é apenas o 5o pior presidente da história dos EUA. Para meu desgosto e total discordância, coloca o Nixon em 4o lugar. Lamentável. Talvez porque eu não sou americano.
    Talvez porque minha visão do mundo se dá a partir de uma periferia não-significante.
    Talvez porque valores éticos fundamentais (algum não é fundamental?) não estejam no meu "dna" sócio-cultural.

    Bom, 'xa pra lá.

    Apareça. Se der, dá uma lida, é bom.

    By Anonymous Anônimo, at 12/12/06 13:06  

  • Emerson, li sim o artigo do Lind no W Post--um em série de 5. O mais taxativo foi o do historiador Eric Foner, que declarou que o Bush era mesmo o fim da picada.

    Onde? Aqui:
    http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2006/12/01/AR2006120101509.html

    Quanto à p(r)ioridade de Nixon, o cara era mesmo um criminoso e de bom só o reconhecimento mais que tardio da China.

    Tinha cabeça de estadista (como não tinha o Reagan, que tinha apenas cabeça de figurão de um projeto) mas o que ele fez com o Vietnã, Camboja, Laos, Chile e quem quer que ousasse o desafiar internamente desaconselha maiores elogios.

    Não era burro. Mas era ruim.

    By Blogger cjb, at 12/12/06 21:54  

  • Putz... o link pro artigo do Eric Foner foi comprido demais para caber aqui no comentário.

    Vou postar uma cópia em novo post.

    By Blogger cjb, at 12/12/06 22:00  

  • Concordo com vc, em alguns pontos, depois vou fazer eu balanço de 2006 e andei meio sumida porque estava meio revoltada com Sistema, mas agora retornei, não posso viver sem escrever, um grande abraço!

    By Blogger Larissa Silva, at 18/12/06 09:47  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home